O depoimento de Vitor Aragão, viúvo de Ana Paula Jesus dos Santos, traz muitas contradições que apontam contra ele. A informação é da delegada Luciana Pereira, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Ana Paula, 26 anos, foi morta com uma pancada de marreta na cabeça na madrugada de sábado, 11, no conjunto Dom Pedro, zona Oeste de Aracaju (SE), num suposto assalto.

Victor foi preso preventivamente ontem à noite após prestar depoimento.

Contradições – Hoje, a delegada falou com a imprensa na sede do DHPP. “O que determinou a prisão foram as contradições entre a versão apresentada por ele durante o depoimento e as provas técnicas colhidas no local do crime”, disse Luciana Pereira ao falar do tijolo apontado por Vitor como instrumento que teria sido usado pelos criminosos para feri-lo. Segundo a delegada, o bloco  recolhido no quarto da vítima não apresenta nenhum tipo de avaria.

A delegada falou que  no depoimento Vitor relatou que na madrugada do crime a criança não acordou, embora tenha derrubado uma escrivaninha, ao perceber os supostos bandidos. “Na primeira oitiva da criança, ela disse que estava na sala, quando os bandidos entraram na casa”, falou a delegada.

Victor disse também, que não estava em processo de separação, entretanto, testemunhas ouvidas tenham relatado que Ana Paula falava em se separar do marido.

Conclusão – A delegada disse que aguarda outros laudos técnicos e periciais, além da oitiva de outras testemunhas para encerrar a investigação. A expectativa é concluir no prazo de 30 dias.