Um dia depois do assassinato da consultora de vendas Ana Paula Jesus dos Santos, de 26 anos, o viúvo dela, e agora principal suspeito do crime, chegou a levar um presente para a sogra no Dia das Mães. “Ele disse que o presente era dele, da Ana Paula e do meu sobrinho”, revelou o irmão em entrevista ao radialista Narcizo Machado, durante o Jornal da Fan, na manhã desta quinta-feira, 16.

Quando este fato aconteceu, o Vitor Aragão, viúvo de Ana Paula, ainda não era considerado pela polícia o principal suspeito de ter assassinado a jovem com golpes de marreta na cabeça.

Na terça-feira, 14, ele foi preso e o irmão de Ana Paula, Carlos Alexandre, conta que para família ainda é difícil acreditar nessa possibilidade. ‘Achei ele muito frio no dia do velório, mas não podia julgar. Cada um tem uma forma de reagir diante da perda. Até então para nós, ele e a minha irmã conviviam muito bem. Há pouco tempo ela manifestou o desejo por separação, mas nós achávamos que fosse crise comum de casal”, afirmou.

Carlos Alexandre ainda contou que sua irmã havia sido contratada há pouco tempo por uma concessionária de carros e que já tinha proposta de crescimento profissional. “Ela estava muito feliz, no processo para conseguir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), mas tudo foi interrompido”, lamentou.

Ana Paula deixou um filho de oito anos, que tinha com o Vitor. Segundo o irmão dela, o garoto está sob os cuidados dos avós paternos. “Aguardaremos os desdobramentos do caso para decidirmos quais medidas jurídicas iremos tomar. Seja Vitor o culpado ou qualquer outra pessoa, o que queremos é Justiça”, apelou.