Está 2,9% mais barato comprar alimentos em Aracaju. A queda na capital sergipana não foi a maior entre as demais capitais nordestinas, segundo pesquisa do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), área do BNB que analisa dados do Dieese, mas representativa no bolso do aracajuano.

De acordo o Etene, em março, o custo do conjunto dos produtos essenciais (carne, pão, banana, tomate, leite, manteiga, feijão, arroz, farinha, batata, açúcar, café e óleo) apresentou queda de 2,4% na região Nordeste, que permanece com a cesta básica mais barata do país (R$ 350,06).

No acumulado dos últimos 12 meses, a redução é ainda maior (-4,6%). Os preços caíram em todas as capitais nordestinas pesquisadas. As maiores quedas ocorreram em Salvador (-7,6%), João Pessoa (-5,4%) e São Luis (-4,6). Os declínios nas outras capitais foram: Fortaleza (-3,1%), Recife (-3,0%), Aracaju (-2,9) e Natal (-2,7%). A pesquisa não foi realizada em Maceió e Teresina.

Tomate caiu – Em março, os alimentos que apresentaram variações negativas mais expressivas foram tomate (-20,1%) em Recife, feijão (-6,2%) em Salvador, e carne (-3,6%) em Fortaleza. Por outro lado, os produtos que apresentaram as maiores variações de preços foram: banana (+10,4%) em João Pessoa e carne (+2,6%) em Aracaju.

Segundo os pesquisadores, a queda favorece sobretudo as famílias mais pobres, cujo peso dos alimentos é maior no orçamento doméstico. Na Região Nordeste, que detém os maiores índices de pobreza do país, este peso é ainda maior.