Um casal que passava pelo local do acidente que vitimou o jornalista Ricardo Boechat e o piloto do helicóptero hoje por volta do meio-dia em São Paulo disse em depoimento ao delegado que está apurando o caso que viu uma pessoa pular da aeronave antes de se chocar contra o caminhão. A informação foi passada pela reportagem da Globo News.

Três pessoas foram ouvidas na delegacia: o motorista do caminhão, de 52 anos, que iniciou o depoimento no 46º DP (Perus), mas logo em seguida passou mal, alegando tontura e muito calor, e um casal que passava de moto no momento do acidente. Os dois socorreram o motorista do caminhão, ajudando a retirá-lo do veículo.

A mulher, Leiliane Rafael da Silva, 29 anos,  disse ao delegado por três vezes, que viu a aeronave vindo muito lentamente de bico quando se chocou no caminhão. Antes disso, ela relatou que viu uma pessoa pular e uma peça do helicóptero bater nessa mesma pessoa.

Ela disse que viu Boechat acenando com uma das mãos com destroços da aeronave sobre ele, poucos instantes antes do helicóptero explodir. Leiliane contou que ainda tentou salvá-lo, mas foi orientada não fazê-lo sob o risco de ser arrastada para dentro das chamas que já consumiam o corpo do jornalista. “Eu queria salvar ele”.

A Força Aérea Brasileira informou que abriu uma investigação para apurar as causas da queda do helicóptero.

O helicóptero estava regular e era de propriedade da RQ Servicos Aéreos Especializados Ltda.

De acordo com a Anac, dados do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB) mostram que o helicóptero estava com o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) válido até maio de 2023 e a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia até maio de 2019, ou seja, a aeronave estava em situação regular.

O helicóptero acidentado é um modelo monomotor com capacidade máxima de quatro passageiros mais a tripulação, da fabricante Bell Helicopter. A aeronave, de matrícula PT-HPG, era de propriedade da RQ Servicos Aéreos Especializados Ltda.

O acidente –  O acidente ocorreu por volta de 12h, quando o helicóptero se chocou contra um caminhão na Rodoanel, próximo ao acesso à rodovia Anhanguera, em São Paulo. O piloto da aeronave, Ronaldo Quattrucci, e o jornalista Ricardo Boechat, que estava a bordo da aeronave, morreram.

Boechat estava dando uma palestra em Campinas, no interior do estado, e estava retornando a São Paulo nesta segunda, de acordo com jornalistas da TV Band.