Depois da polêmica que envolveu o nome do presidente da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), Josenito Vitale (PSD), o Nitinho, na semana passada, na manhã desta segunda-feira, 22, ele concedeu entrevista ao radialista Narcizo Machado, durante o Jornal da Fan.

Nitinho se posicionou sobre o inquérito  da Polícia Civil que investiga a possível formação de um cartel de empresas na produção de shows em Aracaju (SE), durante a gestão do ex-prefeito João Alves Filho, quanto Nitinho era presidente da Funcaju. Ele ainda disse que o envolvimento do seu nome no caso se deve a denúncias feitas pelo vereador Cabo Amintas e apontou: “Aracaju precisa conhecer quem é Cabo Amintas”.

Na semana passada, o Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária da Polícia Civil (Deotap) divulgou o resultado das investigações que investigou o esquema batizado de “Máfia dos Show”. No inquérito estava o nome do vereador Nitinho, mas na quinta-feira, o nome dele foi retirado porque todos os esclarecimentos foram prestados, segundo ele.

Nitinho disse que tomou como surpresa o seu indiciamento  no inquérito, já que nunca se omitiu a falar sobre o assunto. “Não tenho o que esconder. Não tínhamos tempo para fazer licitação, por isto a empresa foi contratada de forma emergencial para prestar o serviço de montagem de uma estrutura. Sou amigo de todos os produtores de eventos de Aracaju, mas isto não justifica qualquer tipo de juízo de valor sobre minha conduta”, pontuou

Nitinho ainda disse que toda essa polêmica começou em outubro do ano passado, quando o vereador Cabo Amintas foi em sua casa e gravou um vídeo sem autorização, que depois foi exibido em rede nacional durante uma reportagem do SBT, no programa “Conexão Repórter”, em que Nitinho fala sobre a promoção de shows na cidade. “Fazer o que Amintas fez é no mínimo covarde. Ele tem atitudes que me fazem ter vergonha de tê-lo como colega de parlamento. Aracaju precisa conhecer quem é o Cabo Amintas”, disse Nitinho.

O presidente da Câmara preferiu não divulgar detalhes sobre o início da Polêmica, mas já informou que após a exibição do programa foi chamado pelo Ministério Público Estadual (MPE). “O caso corre em sigilo, mas eu já pedi para que fosse quebrado, não tenho nada a esconder. O povo vai saber de tudo na hora certa”, garantiu.

Nitinho ainda lembrou que em outubro do ano passado, a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Sergipe condenou o Cabo Amintas  a pouco mais de dois anos por praticar agressões físicas contra um homem, que foi atingido por um tiro na cabeça no dia 18 de maio de 2005. Apesar de condenado, Amintas não sofreu nenhuma consequência, porque o processo já havia prescrito. “Este é Amintas. Por onde eu ando, recebo reclamações dele, muita gente querendo fazer denúncias, sobre sua conduta e seus abusos. Em Aracaju todo mundo se conhece”, finalizou Nitinho.