O delegado regional Marcos Garcia, responsável pela investigação da morte do advogado e procurador do município de Aquidabã, Jarbas Feitoza de Carvalho Filho, disse que trabalha com duas hipóteses: latrocínio e crime de mando, pois a vítima tinha o hábito de emprestar dinheiro a juros. Jarbas Feitoza foi morto a tiros nesta segunda-feira, 11, por volta do meio dia, na zona rural de Aquidabã.

Segundo o delegado, Jarbinha, como era conhecido, tinha ido ao povoado Campo Grande, para pegar a documentação de um animal que havia adquirido por meio de uma troca. Neste momento, segundo informações passadas ao delegado por uma testemunha, um homem se aproximou em uma moto Honda CB 300 de cor preta e anunciou o assalto. Ainda segundo essa testemunha, a vítima entregou um envelope pardo, o celular, mas ainda assim, o autor do crime disparou os tiros e fugiu.

O delegado informou também que o crime pode ter sido premeditado, já que hoje é dia de feira na cidade e era comum ele transitar pela cidade com dinheiro.ara as transações que fazia”, acrescentou Marcos Garcia que irá solicitar imagens de câmeras de fazendas da região para ajudar nas investigações.