Uma adolescente de 13 anos teve a orelha descepada por uma mordida durante uma briga com outra menor de 17 anos na última segunda-feira, 9. O fato ocorreu na cidade de Malhador-SE, distante 52 Km da capital Aracaju.  O órgão foi encontrado na varanda da casa da infratora e foi trazido para o Instituto Médico Legal (IML) para perícia.

A delegada Clarissa Barbosa, da delegacia Regional de Malhador apurou a ocorrência e por envolver duas menores resolveu a princípio não dar repercussão. Ela lamentou e disse que o fato retrata o clima de impunidade que a sociedade vive. “Um fato realmente infeliz, termina sendo a ilustração de que nossa sociedade está vivendo uma inversão completa de valores, nossos jovens não tem limites, acham que suas atitudes inconsequentes não terão punição e vão levando a cabo todos os seus desejos mais macabros”, analisou.

Dra Clarissa Barbosa – Segundo a delegada, inquérito já foi finalizado com depoimentos de familiares e testemunhas

A delegada relata que as duas adolescentes eram amigas, tiveram amizade por dois anos, uma relação combatida pelas famílias pelo fato de ambas terem envolvimento anteriores com pequenos delitos e más companhias.

O clima de rivalidade não tem uma clareza de motivação. Há histórico de agressões verbais e ameaças por meio de redes sociais. Na segunda-feira antes do briga, as adolescentes discutiram e foram apartadas pela mãe da mais nova. Ela relatou à polícia que um pouco mais tarde foi à casa da agressora na companhia de uma prima para, segundo ela, dialogar e resolver as diferenças.

Não houve diálogo, as adolescentes voltaram a discutir, foram às vias de fato e no momento em que trocavam agressões a mais velha, com uma mordida, arrancou toda a orelha da vítima. Segundo a delegada, após perceber o sangramento, a vítima se desesperou e foi encaminhada à unidade de saúde. Diante da gravidade, foi transferida para o Hospital Regional de Itabaiana, onde passou por cirurgia.

O médico que realizou o atendimento informou à delegada que não haverá como fazer implante. A menor vítima, que tem uma filha,  já teve alta e encontra-se em casa com fortes dores e sofrendo impactos psicológicos.

A infratora foi apreendida e chegou inclusive a tirar uma foto com a orelha na mão e confessou para amigos que queria matar a garota de 13.  No momento da briga, ela estava armada com uma faca e não chegou a completar o crime porque foi impedida pela mãe. Ela já foi usuária de drogas e tem transtorno de alta agressividade.

Durante esta quinta-feira, 12, ela deverá ser transferida da delegacia de Malhador para a Unidade de Socioeducativa de Internação Provisória (USIP) e pode pegar até três anos de internamento. Em depoimento ela relata não se arrepender e afirma que faria tudo novamente.

Ouça a entrevista.