Todos os sábados, um bar na praia do Robalo em Aracaju (SE) é o ponto de encontro para diversas pessoas com deficiência. É nele que funciona desde 2011 o projeto estrelas domar, criado por um policial militar e que acolhe cerca 120 pessoas com deficiência para atividades recreativas na praia. Neste sábado, 11, mais uma vez, cerca de 60 voluntários se juntaram ao PM para fazer a alegria dos assistidos.

Um capítulo triste na vida do militar Byron Silva, tinha tudo para terminar com uma história ruim, mas a vontade de ajudar ao próximo  mudou todo o desfecho. Byron perdeu um primo durante um assalto praticado por um menor de idade e pensou no projeto como uma forma de envolver vários jovens no trabalho social, de forma que pudessem  encontrar uma possibilidade de vida, longe da marginalidade.

Assim nasceu o projeto estrelas do mar, uma iniciativa filantrópica, que mostrou para diversas famílias, que possui alguém com deficiência, um novo horizonte.

Ana Carla de Souza acompanha o filho Adriel Hugo de Souza Borges em mais um dia de atividades do projeto Estrelas do Mar

Pais e mães encontraram no projeto Estrelas do Mar a melhora no desenvolvimento cognitivo de seus filhos. O Adriel Hugo de Souza Borges, tem 18 anos e sofreu uma paralisia cerebral. A mãe dele, Ana Carla Souza,  todos os sábados está no projeto. “Descobri essa linda iniciativa há um ano e desde então, não perco um final de semana. O Adriel tem muitas atividades durante a semana e precisa de lazer”, afirmou.

Jeferson- assistido pelo projeto Estrelas do Mar

Jefferson cercado de voluntários, declarou: “É muito carinho e amor”. Reconhecimentos como o de Jeferson, motivam os criadores do projeto a manter a ação.

Byron Silva e o professor Sabiá

“Aqui aprendo mais do que ensino. É muito gratificante ver a alegria no rosto deles”, disse o.professor Sabiá que é voluntário do projeto há três anos.

Quem chega ao projeto é envolvido pela alegria dos voluntários, as atividades desenvolvidas vão desde pinturas ao surf, que é o momento mais aguardado.

Hoje são quase 100 crianças e 60 voluntários envolvidos no projeto, pessoas que encontraram na iniciativa uma forma de ser útil a quem precisa, seja doando apoio financeiro, ou até mesmo se doando todo final de semana.

Para se engajar como voluntário ou assistido, é só procurar as redes sociais do projeto na internet e entrar em contato.