O presidente de honra do PODEMOS, senador Álvaro Dias (PR), afirmou na manhã desta quarta-feira, 11, que no Brasil “não existe  esquerda e direita. Existe sim a divisão dos honestos e desonestos”.

O senador Álvaro Dias criticou a atual política brasileira e também o judiciário, que segundo ele, o desembargador que concedeu a liminar no último domingo, determinando a soltura do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, “não usou sua toga para a justiça. Transformou sua toga em farda do PT”, disse o senador ao Jornal da FAN.

Ainda sobre o presidente Lula, Álvaro Dias disse não entender como os institutos de pesquisas estão incluindo o nome do ex-presidente, já que ele se encontra preso e condenado há mais de 12 anos. “Isso é uma vergonha, um desrespeito. Não há candidatura. Não podemos ficar brincando com a lei. Ninguém mais manda em nada, virou uma esculhambação total. E Escadinha e Beira Mar, podem ser candidatos”, questionou o presidenciável.

Durante a entrevista que concedeu ao radialista George Magalhães, o presidente do PODEMOS disse também sobre as eleições deste ano e como serão nos estados, em relação aos acordos. Álvaro Dias explicou que cada estado irá definir suas coligações e que isso será realmente oficializado após as convenções.

O senador explicou ainda que cada estado “tomará o seu caminho. Não podemos interferir nas decisões estaduais para não atrapalhar as alianças”, explicou.

Ao comentar sobre as pesquisas que estão sendo realizadas, inclusive com o nome do ex-presidente, Álvaro Dias classificou como “brincadeira”. “Pesquisa agora é brincadeira, até porque intenção de voto muda. É preciso ver a rejeição dos candidatos, até porque rejeição é  passado e presente. Portanto, não tem nada definido até o momento e além disso, mais de sessenta por cento dizem não saber em quem votar”, disse.

Ao final da entrevista, o senador Álvaro Dias disse que o Brasil precisa se preocupar com a violência que está ocorrendo e lembrou que Aracaju aparece entre as 12 cidades mais violentas do mundo e disse lamentar que isso esteja ocorrendo.

Foto Agência Brasil

Da redação do Jornal da FAN